O objecto da pintura, Mestres da arte espanhola das últimas décadas

A Colecção Mariano Yera apresenta no Porto a mais representativa pintura espanhola das últimas décadas na exposição “O objecto da pintura, Mestres da arte espanhola das últimas décadas” que estará no Palácio das Artes – Fábrica de Talentos – Fundação da Juventude no Porto até 3 de Março.

A mostra, comisariada por Guillermo Mora em parceria com Rosina Gómez-Baeza e Lucia Ybarra, apresenta 18 obras da Colecção Mariano Yera com obras de José Guerrero, Equipo 57, Antonio Saura, Luis Gordillo, Ángela de la Cruz, Juan Uslé ou Perejaume, entre outros.

Mora parte de uma obra de José María Yturralde (“Eclipse Azul”, 2013) para refletir sobre a pintura como um objeto e não como uma janela: “aquele quadrado preto que eclipsa o azul fala muito da minha pintura e também de uma abordagem menos visitada na pintura espanhola. Fala da pintura que serve para encobrir a pintura, da pintura-objeto (e não da janela), da tela pictórica que bloqueia e retorna continuamente o olhar”, aponta o artista.

José María Yturralde, Eclipse Azul, 2013 — Cortesía de Comunicación de arte y cultura

A abordagem discursiva de O objecto da pintura, Mestres da arte espanhola das últimas décadas, reflete também a visão particular de Mora sobre essas obras anteriores da coleção e em defesa de “uma pintura que na Espanha traçou seu próprio caminho de forma mais silenciosa, vendo como sua irmã, a pintura narrativa, teve mais voz e foi promovida muitas mais vezes como “a espanhola”.

Mora, que é o mais recente artista a juntar-se à Colecção Mariano Yera, traça a sua própria viagem pela história da arte espanhola nas últimas décadas, estabelecendo referências e afinidades selectivas que o levam a construir um habitat cheio de luz e cor.

 A COLECÇÃO MARIANO YERA

A Colecção Mariano Yera, iniciada em 1999, centra-se na pintura espanhola contemporânea desde a segunda metade do século XX até aos nossos dias. Abrange mais de meio século de história pictórica espanhola através de cerca de 160 pinturas de 68 artistas diferentes. A Colecção inclui obras representativas de Tàpies ou Ponç, pioneiros da renovação plástica do pós-guerra, passando pelo grupo El Paso com Saura, Millares, Feíto, Rivera ou Viola, Equipo 57, Equipo Crónica e Equipo Realidad, a artistas do prestígio de Gordillo, Alcolea, Pérez Villalta, Barceló, Sicilia ou Campano, entre outros, que se unem a artistas mais contemporâneos como Ángela de la Cruz. Esta coleção de pintura contemporânea espanhola foi distinguida com o Prémio Arco al Coleccionismo Privado (2013) e é membro da Asociación de Coleccionistas de Arte Contemporáneo 9915, uma associação instrumental de apoio, divulgação e conservação do património artístico espanhol. Desde 2016, uma segunda fase da Coleção Mariano Yera começou com a aquisição de obras de pintores espanhóis estabelecidos, como Miki Leal ou artistas mais emergentes, como Patricia Gómez e María Jesús González.

O objecto da pintura, Mestres da arte espanhola das últimas décadas pode ser visitada: segunda-feira  10:00 – 18:00 h. De terça-feira a sábado 10:00 – 18:00 h. Domingos e Feriados 10:00 – 18:00 h. Entrada gratuita / Entrada gratuita Visitas guiadas para Grupos e Escolas.

Post A Comment

Uso de cookies

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies